Você certamente já deve ter ouvido falar dos raios UVA e UVB: os dois tipos de radiação emitidos pelo sol e que possuem grande impacto na saúde da nossa pele.

A exposição solar é essencial para a síntese de vitamina D e para o bem-estar geral do organismo, sendo a nossa principal fonte de calor mas que, além dos diversos benefícios, acaba nos entregando também os raios ultravioleta nessas duas formas.

Tanto os raios UVA quantos os UVB são invisíveis aos olhos humanos e podem causar danos diversos, como queimaduras, envelhecimento precoce e até mesmo câncer de pele.

Se essa é uma “ameaça” que não conseguimos ver, como podemos nos proteger da incidência desses raios?

O primeiro passo é conhecer melhor sobre os raios UVA e UVB: e, para tirar suas dúvidas sobre o assunto, Imecap preparou um guia completo!

Confira aqui tudo sobre esses dois tipos de radiação, diferenças entre eles e boas para se proteger e cuidar da saúde da pele.

Acompanhe até o final e boa leitura!

O que são os raios UVA e UVB?

Os raios UVA e UVB são tipos de radiação ultravioleta emitidos pelo sol, e cada um deles tem características e efeitos específicos na pele e na saúde humana. 

Os raios UVA compõem a maior parte da radiação ultravioleta que atinge a Terra: eles são os principais responsáveis pelo envelhecimento precoce da pele, contribuindo para rugas, manchas solares e outros danos cumulativos ao longo do tempo. 

Eles também desempenham um papel na formação de câncer de pele, especialmente o melanoma.

Já os raios UVB têm comprimentos de onda mais curtos e são responsáveis pela maioria das queimaduras solares. 

Apesar de não penetrar tão profundamente na pele, os raios UVB são mais intensos e contribuem significativamente para o risco de câncer de pele, incluindo o carcinoma de células basais e o carcinoma de células escamosas. 

A exposição prolongada aos raios UVB também pode causar danos ao DNA das células da pele, aumentando o risco de mutações cancerígenas.

Qual é a diferença?

Apesar de ser um consenso o perigo que os raios UV podem causar à nossa pele, ambos os tipos de radiação possuem diferenças em suas características, efeitos e, consequentemente, medidas de proteção.

Separamos abaixo um quadro comparativo para explicar:

Comprimento e penetraçãoEfeitos na
pele
Horário de maior incidência
UVAPossui maior comprimento de onda, permitindo que penetre mais profundamente na pele e atingindo a derme, a camada mais profunda.É o principal responsável pelo envelhecimento precoce da pele, e também pode desencadear alergias solares e aumentar o risco de câncer de pele.Está presente em maior quantidade durante todo o dia, mesmo em dias nublados e frios. Sua intensidade não varia muito ao longo do dia.
UVBPossui menor comprimento de onda, penetrando menos na pele e alcançando apenas a epiderme, a camada mais superficial.É responsável pelas queimaduras solares, vermelhidão, descamação e bronzeamento da pele. Também contribui para o desenvolvimento de câncer de pele.Sua intensidade é maior entre 10h e 16h, diminuindo nos horários iniciais da manhã e no final da tarde.

Outros tipos de radiação solar

Além dos raios UVA e UVB, existem outros tipos de radiação solar que compõem o espectro eletromagnético emitido pelo sol:

  • UVC: esses são os raios mais energéticos do espectro ultravioleta, mas que são absorvidos em sua maior parte pela camada de ozônio e pela atmosfera terrestre, causando menos danos;
  • IR: a radiação infravermelha é uma forma de radiação térmica que possui comprimentos de onda mais longos do que a luz visível, e é responsável pela sensação de calor que sentimos quando estamos expostos ao sol;
  • radiação ionizante: tipo de radiação inclui raios X e raios gama, que possuem alta energia e são capazes de ionizar átomos e moléculas. A radiação ionizante não é diretamente proveniente do sol em níveis significativos na superfície da Terra, mas é produzida em eventos cósmicos e atividades nucleares.

Como se proteger dos raios UVA e UVB?

O protetor solar é a melhor forma de se proteger dos raios UVA e UVB: escolha um protetor solar com FPS (fator de proteção solar) de pelo menos 30 e que seja de amplo espectro, ou seja, que proteja contra os raios ultravioleta. 

O ideal é aplicar o protetor solar generosamente em todas as áreas expostas da pele pelo menos 30 minutos antes de se expor ao sol e reaplique a cada duas horas, ou com mais frequência se você estiver suando ou nadando.

Também são outras boas dicas para se proteger contra esses raios:

  • evitar práticas de bronzeamento artificial;
  • evitar a exposição ao sol entre os horários de 10h e 16h;
  • usar roupas e acessórios protetores, como bonés e óculos escuros.

Qual raio solar produz vitamina D?

A vitamina D não vem necessariamente de uma radiação: é o nosso corpo quem produz a vitamina, e usa a radiação solar como combustível.

Quando a pele é exposta aos raios UVB, ocorre a conversão do 7-dehidrocolesterol presente na pele em pré-vitamina D3, que é posteriormente convertida em vitamina D3 através da ação do calor corporal. 

Essa vitamina D3 é então transportada para o fígado e rins, onde passa por processos adicionais de ativação até se tornar a forma biologicamente ativa da vitamina D, chamada de calcitriol.

Portanto, a exposição moderada aos raios UVB do sol é fundamental para a síntese natural de vitamina D no organismo humano. 

Perguntas frequentes sobre UVA e UVB

Confira ainda o FAQ que separamos sobre o assunto:

Qual é a diferença de UVA e UVB?

Os raios UVA têm comprimentos de onda mais longos e penetram mais profundamente na pele, contribuindo para o envelhecimento e o câncer de pele. 

Já os raios UVB têm comprimentos de onda mais curtos e afetam principalmente a camada superficial da pele, causando queimaduras solares e danos ao DNA.

O que os raios UVB e UVA causam na pele?

Os raios UVA são os principais responsáveis pelo envelhecimento precoce da pele, contribuindo para rugas, flacidez e manchas solares; eles também estão associados ao desenvolvimento de câncer de pele, especialmente o melanoma.

Os raios UVB são responsáveis pelas queimaduras solares e vermelhidão imediata após a exposição — e eles também podem causar danos ao DNA das células da pele, aumentando o risco de câncer de pele.

Como se proteger dos raios UVA e UVB?

São boas dicas para evitar os malefícios da exposição solar:

  • evitar a exposição ao sol nos horários de pico de radiação solar;
  • usar protetor solar de amplo espectro que proteja contra os raios UVA e UVB;
  • manter a pele hidratada e saudável para fortalecer a barreira natural contra os danos solares;
  • usar roupas de proteção solar, como chapéus de abas largas e óculos de sol com proteção UV.

Conclusão

Os raios UVA e UVB têm efeitos diferentes na pele, mas ambos podem causar danos significativos se não forem protegidos adequadamente. 

Ao compreender a diferença entre esses raios e adotar medidas de proteção solar, você pode reduzir o risco de danos à pele, envelhecimento precoce e câncer de pele. 

Priorizar a proteção solar diária e cuidar da pele é importante para poder desfrutar dos benefícios do sol de forma segura e saudável.

Tags:

Compartilhe esse post com seus amigos!

[kadence_simple_share]

Você também pode gostar

Você também pode gostar

Mulher utilizando Imecap Hair Gummy

Compartilhe esse post com seus amigos!

Lorem ipsum dolor sit amet consectetur adipiscing elit. Nulla rutrum odio risus, egestas fermentum tortor scelerisque sit amet. Nullam cursus, quam et aliquet cursus, libero neque vestibulum eros,…